sábado, 10 de dezembro de 2011

Entrevista - Paulo Nazareth (Crombie)

O blog MPB Santo realizou um entrevista com Paulo Nazareth, músico e vocalista da banda Crombie.
Confira a entrevista abaixo, você pode conhecer um pouco mais do trabalho do Crombie e ouvir algumas de suas músicas no Myspace da banda: http://www.myspace.com/crombies.


01) MPB Santo: Olá Paulo, hoje considero o Crombie minha banda favorita, então a satisfação em tê-lo aqui no blog MPB Santo é imensa. Você é filho do pastor e músico Josué Rodrigues, conte-nos um pouco da sua história de vida e que isso influenciou na sua música.
Paulo Nazareth: Eu fiquei muito feliz de ser convidado para esta entrevista. E é uma alegria saber que o som do Crombie é admirado. Pois é, eu sou filho de Josué Rodrigues. Nasci num ambiente musical. Cresci ouvindo a voz e o violão do meu pai lá em casa e, influenciado diretamente por ele, tomei gosto pela coisa.

02) MPBS: O Crombie chegou com uma proposta musical um pouco diferente do que estamos acostumados no meio cristão, quais são as influências e como você classifica o estilo musical da banda?
PN: Nós nunca pensamos em uma proposta. A impressão que eu tenho é que a nossa música foi ouvida por outras pessoas, além e nós, por acaso. As nossas músicas são pensamentos e poesias musicados, que falam sobre o nosso dia a dia, sobre coisas que admiramos e sobre o nosso relacionamento com Deus e com o próximo. De início, eu não tinha a intenção de mostrar isso pra ninguém. Nem pro meu pai. Eu não achava que outras pessoas gostariam. O nosso estilo musical é o resultado disso... não sei dizer muito mais a respeito. Nossas influencias estão predominantemente no que sempre ouvimos: música popular brasileira. Novos Baianos, Gilberto Gil, Djavan, etc.

03) MPBS: Você tem uma música preferida do Crombie?
PN: Não. Mas uma das que mais gosto, curiosamente, é uma que quase não toco, não sei por quê. Está no último CD. “O Passarinho e a sua Esperança”.

04) MPBS: Está saindo agora o CD "Casa Amarela" que tem um projeto gráfico bastante diferente (embora só tenha visto por foto) do "porenquanto" que foi um projeto mais artesanal. Além desta diferença gráfica, o que mudou de um projeto para o outro?
PN: O “Casa Amarela” é um disco feito com mais cuidado. Fomos mais cuidadosos na hora de gravar as músicas, na hora de mixar e masterizar o disco. E algo bem legal também é a participação de músicos convidados. Em todo o processo tivemos a companhia de gente muito capaz... Profissionais excelentes. Nós aprendemos muito e curtimos o resultado final.

05) MPBS: Mudou alguma coisa na formação do Crombie para este projeto "Casa Amarela"? Quem participa do CD?
PN: Inicialmente tínhamos, na formação, 2 bateristas tocando percussão. Agora temos um baterista tocando bateria... hehe. Isso faz uma diferença na sonoridade. A formação atual é a seguite: Eu (Paulo Nazareth), Felipe Vellozo, Lucas Magno, Filipe Costa e Gabriel Luz. Na gravação do CD, contamos com a participação especialíssima de grandes músicos como Arthur Maia (atual baixista do Gilberto Gil), Sérgio Chiavazzoli (atual guitarrista do Gilberto Gil), Fernando Caneca (atual guitarrista da Maria Gadu), Henrique Mafra (guitarrista), Mac William (baterista) e outros... sempre esqueço alguém.

06) MPBS: Atualmente você está morando em São Paulo, o que te levou a sair do Rio e vir para cá? O que esta transição mudou em sua vida?
PN: Eu sou formado em Comunicação Social e comecei a fazer seminário, estando ainda no Rio. Há um ano e meio atrás fui convidado para vir pra São Paulo pra continuar estudando e trabalhando aqui. Topei o desafio e estou aqui há um ano. São Paulo é uma loucura e tem sido um tempo muito bom, de novos desafios e crescimento. Logo que cheguei fiquei um tempo sem compor mas ultimamente tenho tido novas inspirações...

07) MPBS: Dos músicos cristãos atuais, quem você gosta de ouvir?
PN: Ah tem muitos... Josué Rodrigues, Gerson Borges... um pessoal muito legal que tive o prazer de conhecer a alguns anos atrás numa programação em Minas... O Banda de Boca, incrível! Gosto muito também do Zazo (Banda Céu na Boca), ele é muito divertido, tem uma voz linda e músicas maravilhosas.

08) MPBS: Como músico, você acha importante acompanhar trabalhos de artistas seculares? Por quê? Quais seus artistas seculares preferidos?
PN: Eu acho muito importante a gente ouvir música boa. Desde pequeno sou fã do Gilberto Gil. Sempre gostei de ouvir Tom Jobim, João Gilberto, Djavan, Jorge Benjor e caras mais contemporâneos meus como Jair Oliveira e Los Hermanos.

09) MPBS: O pastor/músico Gerson Borges participou do CD "porenquanto" e você participou do CD "Ao Vivo no Som do Céu" do Gerson, essas participações aconteceram como parcerias? Você já fez, pretende ou gostaria de fazer outras parcerias? Com quem?
PN: O Gerson é “professor” do Crombie. E tivemos a honra de contar com a participação dele no nosso primeiro CD (Porenquanto). Ele me deu o privilégio de participar com ele em 2 faixas no CD dele chamado “Nordestinamente”. Sobre parcerias... tenho uma parceria recente com o Tiago Viana, chamada “Além” e algumas parcerias com o Felipe Vellozo, baixista do Crombie. E que venham outras!

10) MPBS: Quais os projetos do Crombie e também do Paulo Nazareth para o futuro?
PN: Eu tenho vontade de gravar alguma coisa com amigos aqui de São Paulo... quem sabe não role alguma coisa em breve (!?). E o Crombie nunca vai deixar de existir porque, antes de sermos uma banda, somos amigos de longa data. Eu admiro muito a cada um deles e vamos sempre continuar compartilhando as criações e tocando juntos.

11) MPBS: Existe alguma passagem ou trecho da Bíblia que você gosta mais? Qual?
PN: Gosto muito do Salmo 42:8 “Que ele me mostre durante o dia o seu amor, e assim de noite eu cantarei uma canção, uma oração ao Deus que me dá vida”

12) MPBS: Você participa de redes sociais como Twitter, Facebook e Orkut, assim como o Crombie que também possui uma conta no Myspace, você acha que estes meios podem ser usados como uma ferramenta de apoio para divulgação do trabalho do músico, principalmente o independente?
PN: Acho que sou meio ignorante nesta área. Eu tenho um perfil no Facebook e acesso esporadicamente. Na verdade, é tudo muito novo e, consequentemente, experimental. Mas me arrisco a dizer que estes meios são úteis sim... pra divulgar o seu som hoje, basta querer. Certamente a música do Crombie já foi ouvida por pessoas que jamais teriam ouvido, se não fosse por estas ferramentas de comunicação.

13) MPBS: Deixe uma mensagem para os leitores do MPB Santo.
PN: Pessoal, que bom ter participado neste espaço tão agradável do MPB Santo. Tomara que a gente possa continuar se encontrando por aqui. Abraços!
Paulo.

Reações:

2 comentários:

Helder disse...

Não sei se entendi direito, mas o vocalista/líder do Crombie está morando em SP, e os demais integrantes permaneceram no RJ, ou ele formou uma outra base de apoio em SP também, além da galera do RJ??
Valeu Cléber, excelente entrevista!! :-)

Cleber Gossi disse...

Oi Helder, tudo beleza por aí? Pois é, o Paulinho está em SP, mas até onde eu sei a banda Crombie continua lá no RJ, provavelmente o Paulo faça alguns projetos paralelos aqui em Sampa, mas sem relação com o Crombie, pelo menos foi o que eu entendi!
E aí vamos fazer uma entrevista com o Sacrífio Vivo?

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | GreenGeeks Review